Perguntas frequentes

Ao longo de décadas de atuação no trabalho de apoio a cuidadores familiares, a ABRAz realizou milhares de reuniões de Grupos de Apoio e atendimentos telefônicos pelo serviço Fale Conosco ou em plantões especiais em datas comemorativas. Dessa extensa experiência com o público foram retiradas as perguntas mais frequentes de cuidadores e familiares de doentes de Alzheimer. Todas as questões foram respondidas e estão agrupadas por tema.

Sobre o tratamento

Existe uma alimentação específica para a Doença de Alzheimer?

Não, ao contrário de outras doenças como o diabetes ou a hipertensão, não existe uma dieta restritiva recomendada para todos os pacientes de Alzheimer. Ajustes na dieta poderão ser feitos de forma individualizada, dependendo das consequências da doença em cada paciente. Estudos recentes apontam para a importância de alimentação saudável e do consumo de nutrientes para a preservação de neurônios. Investir na qualidade da alimentação é importante em todas as idades e a boa nutrição para o idoso preserva sua saúde e seu bem-estar.

Quais medicamentos são indicados?

Substâncias com resultados comprovados cientificamente são: rivastigmina (Exelon); donepezil (Eranz); galantamina (Reminil) e memantina (Ebix). Todos esses medicamentos são de uso controlado e devem ser administrados rigorosamente de acordo com a prescrição médica.

O que a rede pública disponibiliza para o tratamento?

O paciente com Doença de Alzheimer tem direito à assistência pública e a medicamentos gratuitos, de acordo com a Portaria 703 do Ministério da Saúde, que regulamenta o atendimento ao paciente de Doença de Alzheimer na rede pública.

Os direitos estabelecidos pela portaria englobam:

  1. Consultas para diagnóstico.
  2. Atendimento na rede púbica.
  3. Atendimento em hospital-dia.
  4. Atendimento hospitalar.
  5. Visita domiciliar de profissional da saúde.
  6. Tratamento acompanhado por equipe multidisciplinar.
  7. Programa de orientação e treinamento para familiares.
  8. Medicação gratuita.

Quais medicamentos são fornecidos pela rede pública?

  • Rivastigmina.
  • Donepezil.
  • Galantamina.

Observação: O medicamento Memantina não está na lista do governo e precisa ser comprado. Quando a portaria foi assinada, não existia a memantina. A ABRAz já solicitou sua inclusão na lista dos medicamentos gratuitos, mas ainda não obteve resposta.

Como conseguir os medicamentos gratuitamente?

Para que o paciente tenha acesso aos medicamentos incluídos na lista do Governo, ele deve ser analisado clinicamente por um médico, além de fazer exames laboratoriais e de imagem. Somente os pacientes que se encontram nos estágios inicial e intermediário da doença podem ter acesso aos medicamentos de distribuição gratuita.

Páginas