Dirigindo com demência: Até quando é seguro?

Cada vez mais enfrentamos o impasse de até quando o idoso é capaz de dirigir com segurança. Diante de nós filhos preocupados aguardam uma proibição enquanto pessoas ainda autônomas querem manter sua liberdade, seu prazer de dirigir.
No Brasil não existe uma idade limite, nem legislações específicas.

O conflito acentua se a pessoa apresenta uma demência. No entanto,as demências formam um grupo heterogêneo, que comprometem diferentemente as funções cerebrais e em geral começam de forma leve evoluindo lentamente. Portanto, nem todos precisam parar de dirigir inicialmente.
Os sinais de alerta são leves acidentes frequentes, necessidade de copilotos, perder-se em rotas familiares e indecisão em rotatórias ou bifurcações.

O médico, ajudado pelas informações da família, deve avaliar o planejamento de rotas, respostas adequadas às sinalizações, tomada de decisões apropriadas frente a imprevistos, capacidade de antecipação, habilidades visuoespaciais, atenção, tempo de reação, memória, além de comportamentos impulsivos ou inadequados.

Aqueles que ainda podem dirigir devem limitar-se às rotas conhecidas, evitar dirigir à noite e em condições climáticas ruins, se estiver se sentindo mal ou cansado, não ingerir bebida alcoólica no dia ou mesmo na véspera de dirigir.
Ao aconselhar parar de dirigir, faz-se necessário o planejamento de modos alternativos de transporte e por vezes acompanhamento psicológico.

Participe do Grupo: vivabemuol.abraz.org.br

Dra. Celene Queiroz Pinheiro de Oliveira
Médica Geriatra
Diretora de divulgação da ABRAz – Regional São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *