Fisioterapia na fase leve da doença de Alzheimer

Nesta fase o objetivo do exercício físico é incrementar a condição física e funcionalidade. Tudo que conseguirmos nesta fase em melhoria de força muscular, equilíbrio, flexibilidade, condicionamento cardiorrespiratório serão importantíssimos para evitar, ou ao menos, adiar as complicações das fases mais avançadas. É fundamental estimular esses domínios que citamos, porém sem esquecer que esses idosos muitas vezes nos chegam com outras doenças associadas, como artrose, hipertensão, diabete. Então, estimular melhor funcionalidade, uma boa condição física, trará para esse idoso não só o adiamento de complicações, mas também uma melhor qualidade de vida hoje. Associar o exercício físico à música traz inúmeros benefícios ao paciente. A música estimulará outros domínios como, ritmo, memória, cadência da marcha, fazendo com que essa atividade contemple além do objetivo principal a que se propõe, objetivos secundários como os aspectos cognitivos.

Resumindo:

FORÇA MUSCULAR

FLEXIBILIDADE

EQUILÍBRIO

COORDENAÇÃO

Respeitando co-morbidade, e associando o exercício físico a estímulos cognitivos como a música, por exemplo.

Participe do Grupo: vivabemuol.abraz.org.br

Adriana M Miranda

Fisioterapeuta e especialista em gerontologia pela SBGG;
Coordenadora do serviço de reabilitação Longevidad;
Professora convidada da especialização de gerontologia do IDE e UNICAP;
Coordenadora da comissão científica de fisioterapia da ABRAz Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *