Manifestações atípicas da COVID-19 em idosos

Idosos são o grupo de maior risco de complicações e mortalidade relacionadas à COVID-19. Predominam sintomas respiratórios: tosse seca, dor de garganta, coriza, febre, falta de olfato e paladar, podendo chegar à síndrome respiratória aguda grave.

idosos surpreendem familiares e profissionais de saúde com manifestações incomuns. Sintomas se confundem com doenças de base ou aqueles que têm transtornos cognitivos podem não perceber ou não saber dizer o que sentem. A febre pode estar ausente ou podem apresentar baixas temperaturas.

Manifestam sono excessivo, param de andar, têm perda de apetite, hipotensão, confusão mental, tonturas, desmaios e quedas, ou se tornam incontinentes. Eventualmente, apresentam alucinações ou se tornam agressivos. Sintomas gastrointestinais – como diarreia, náuseas, vômitos, dor abdominal e dor ao engolir – também podem acontecer.

Algumas manifestações neurológicas, como perda abrupta da fala, mimetizam um acidente vascular encefálico, mas podem ser efeito do vírus no sistema nervoso central. Isso ocorre, pois o sistema imune do idoso está atenuado, dificultando a regulação da temperatura. Condições neurológicas, como uma isquemia cerebral prévia, podem diminuir o reflexo de tosse.

Reconhecer rapidamente esses sinais agiliza o atendimento, reduzindo o risco de complicações e evitando a transmissão para familiares, cuidadores e profissionais.

Participe do Grupo Viva Bem UOL no Facebook: “Alzheimer: desmistificando os cuidados” (https://bit.ly/vivabemuol)

Dra. Celene Pinheiro

Médica geriatra;
Diretora de divulgação da ABRAz – Regional São Paulo.

Revisão jornalística:
Voluntária Rebecca Melo DRT (1349/SE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *