Como otimizar uma consulta por telemedicina?

Durante o tempo de isolamento social, nossos pacientes idosos, em especial, aqueles com síndromes demenciais, passaram a ter a chance de serem consultados pelos seus médicos através da telemedicina, utilizando canais online, como Zoom e outras plataformas seguras. Como otimizar essa nova modalidade?

É importante haver um contato prévio da família com o médico para avaliar se a demanda do paciente é elegível para telemedicina, ou se haverá necessidade de consulta presencial.
Importante permitir ao médico, sempre que possível, informação sobre dados vitais, como pressão arterial, temperatura, glicemia, etc. Na consulta, cuidadores familiares ou formais devem relatar dados sobre apetite, sono, micções e defecações, assim como humor e alterações comportamentais.

É fundamental, neste período, relatar o nível de cuidados que familiares e cuidadores estão tendo para evitar transmissão da COVID -19. A família também deve relatar todos os remédios em uso, com suas dosagens e horários. E, durante a consulta, é importante que o médico possa ver o paciente e efetuar algum nível de contato.

Ao final, cabe a nós, médicos, elaborar um plano terapêutico que inclua não apenas medicações, mas algumas intervenções não farmacológicas e um plano de cuidados humanizado para reduzir o impacto nefasto, porém necessário, que o isolamento tem provocado em nossos pacientes.

Participe do Grupo Viva Bem UOL no Facebook: “Alzheimer: desmistificando os cuidados” (https://bit.ly/vivabemuol)

#vivabemuol #abrazalzheimer

Adriano Gordilho

Médico Geriatra CRM BA. 5606

Revisão jornalística:
Voluntária Rebecca Melo DRT (1349/SE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *